Mas, há mais, nomeadamente as questões à volta das bandeiras azuis e dos nadadores-salvadores que foram notícia recentemente (vd.: por exemplo, DN de 15/06/2015).

Estes são exemplos de um conjunto de situações que devem ser acauteladas de modo a permitir que a época balnear decorra de uma forma que proporcione boas condições de acesso ao mar e qualidade no usufruto do mesmo.

A época balnear deve merecer uma programação e uma interligação entre o Governo Regional e a Câmara Municipal do Funchal, no sentido de, dentro das competências que são próprias das entidades, garantir a tomada de um conjunto de medidas que salvaguarde quer a qualidade das águas, a criação de condições para que todas as infraestruturas de apoio estejam funcionais e garantam a sua utilização em segurança, assim como a garantia do acesso ao mar por parte da população e de quem nos visita.

Não convém esquecer que a época balnear também constitui uma época de forte actividade económica que não pode ser descurada por parte das entidades governativas.

Esta época balnear já está, de certa forma, comprometida. Interessa definir que tipo de medidas ainda podem ser implementadas e, muito importante, preparar a próxima, programando e coordenando entre a edilidade funchalense e o Governo Regional um conjunto de questões que, efectivamente, permitam proporcionar, com qualidade e condições, o acesso ao mar e ao usufruto do mesmo.

É neste sentido que a CDU irá intervir na sessão da Vereação da Câmara Municipal do Funchal de hoje, quinta-feira, dia 16 de Julho de 2015, com o objectivo de obter esclarecimentos e alertar para sejam tomadas medidas e articulados procedimentos para que situações deste tipo não se venham a repetir nos próximos tempos.